sexta-feira

contrários

contemplo o mistério: fui lá e devolvi todas as coisas. a aspereza de um homem. o que mais eu poderia ter feito? cena de um filme antigo.
olhei estranha para quem antes despertava o meu desejo e a minha fragilidade. desde quando são todos tão iguais? agora já não era nada. não sobrava nada. nem medo. até onde os homens permanecem ipês?
ele diz contrários. mas eu. eu ainda penso e sou capaz de me maravilhar com o mundo. não desisto de mim. e sigo. às arestas, portanto.