quarta-feira

vazios

o pulmão arde quando respiro cotidianos. se me distraio, a sensação ameniza e permaneço imersamente aliviado.
mas os instantes passam e logo venho outra vez à tona, à espera, o medo inflando pulmões.
buscaria sossegos, ausências. buscaria o vazio se o soubesse possível e próximo. mas me afogo. outra vez.